Insegurança alimentar entre beneficiarios de um programa de transferência de renda brasileiro: uma análise na perspectiva da bioética

Resumen

O combate à insegurança alimentar (IA) é um dos alvos do segundo objetivo do desenvolvimento sustentável: fome zero e agricultura sustentável. Este estudo buscou avaliar a segurança alimentar de titulares de um programa de transferência de renda (PTR) brasileiro, na perspectiva da Bioética de Proteção. Para avaliação da IA utilizou-se a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar, aplicada em 298 mulheres titulares do PTR. Os resultados revelaram que 58,1% (n=173) apresentavam IA leve, 16,4% (n=49) IA moderada, e 8,1% (n=24) IA grave. Estes dados suportam que beneficiários de PTR possuem índices alarmantes de IA e que há necessidade urgente no apontamento de soluções para tais questões para mitigar as vulnerabilidades a que essas famílias estão expostas.

Biografía del autor/a

Carla Corradi-Perini, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

biography

Citas

Almeida Filho, N., Belik, W., Ortega, A. C., Couto, E. P., & Vian, C. E. (2007). Segurança Alimentar: evolução conceitual e ação das políticas públicas na America Latina. In Anais do XLV Congresso da SOBER (pp. 1–23).

Alves, K. P. de S., & Jaime, P. C. (2014). A política nacional de alimentação e nutrição e seu diálogo com a política nacional de segurança alimentar e nutricional. Ciencia e Saude Coletiva, 19(11), 4331-4340. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-812320141911.08072014

Bezerra, T. A., Olinda, R. A. de, & Pedraza, D. F. (2017). Food insecurity in Brazil in accordance with different socio-demographic scenarios. Ciencia e Saude Coletiva, 22(2), 637-652. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232017222.19952015

Bezerra, T. A., & Figueroa Pedraza, D. (2015). (In)segurança alimentar entre famílias com crianças menores de cinco anos residentes em área de vulnerabilidade social de Campina Grande, Paraíba. Revista de Nutrição, 28(6), 655-665. DOI: https://doi.org/10.1590/1415-52732015000600008

Bezerra, M. S., Jacob, M. C. M., Ferreira, M. A. F., Vale, D., Mirabal, I. R. B., Lyra, C. O. (2019). Insegurança alimentar e nutricional no Brasil e sua correlação com indicadores de vulnerabilidade. Ciênc. Saúde Coletiva [periódico na internet]. [Citado em 31/03/2020]. Disponível em http://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/inseguranca-alimentar-e-nutricional-no-brasil-e-sua-correlacao-com-indicadores-de-vulnerabilidade/17094?id=17094

Cortina, A. (2005). Cidadãos do mundo: para uma teoria da cidadania. São Paulo: Edições Loyola.

Cotta, R. M. M., & Machado, J. C. (2013). Programa Bolsa Família e segurança alimentar e nutricional no Brasil: Revisão crítica da literatura. Revista Panamericana de Salud Publica/Pan American Journal of Public Health, 33(1), 54-60. DOI: https://doi.org/10.1590/S1020-49892013000100008

Garrafa, V., & Porto, D. (2002). Bioética, poder e injustiça: por uma ética de intervenção. O Mundo Da Saúde, 26(1), 6-15.

Henriques, P., O’Dwyer, G., Dias, P. C., Barbosa, R. M. S., & Burlandy, L. (2018). Health and food and nutritional security policies: Challenges in controlling childhood obesity. Ciencia e Saude Coletiva, 23(12), 4143-4152. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-812320182312.34972016

IBGE. (2014). Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílios (PNAD). Disponível em https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/rendimento-despesa-e-consumo/19898-suplementos-pnad3.html?edicao=10528&t=resultados

Junges, J. R., & Zoboli, E. L. C. P. (2012). Bioética e saúde coletiva: convergências epistemológicas TT - Bioethics and public health: epistemological convergences. Ciênc. Saúde Coletiva, 17(4), 1049-1060. Disponível em http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232012000400026

Lei n. 11.346, de 15 de setembro de 2006. Lei Orgânica de Segurança Alimentar Nutricional (Losan). Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional-SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências. Disponível em https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11346.htm

Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm

Morais, D. de C., Sperandio, N., Dutra, L. V., Franceschini, S. do C. C., Santos, R. H. S., & Priore, S. E. (2018). Indicadores socioeconômicos, nutricionais e de percepção de insegurança alimentar e nutricional em famílias rurais. Segurança Alimentar e Nutricional, 25(2), 1-11. DOI: https://doi.org/10.20396/san.v25i2.8650443

Marques, L. B., Cunha, T. R. da, & Corradi-Perini, C. (2016). Vulnerabilidade social e dignidade humana: um diálogo necessário no campo da bioética. Revista Redbioética/UNESCO, 1(13), 24-34.

ONU. (1948). Declaração Universal dos Direitos Humanos. Retrieved from https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2018/10/DUDH.pdf

ONU. (2015). Agenda 2030 ONU Brasil. Retrieved March 31, 2020, from https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/

Padrão, S. M., & Aguiar, O. B. de (2018). Restaurante popular: a política social em questão. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 28(3), 1-20. DOI: https://doi.org/10.1590/s0103-73312018280319

Pereira, R. A., & Santos, L. M. P. (2008). The dimension of food insecurity. Revista de Nutrição, 21(suppl.), 7-13. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-52732008000700002

Piovesan, F. (2004). Direitos sociais, econômicos e culturais e direitos civis e políticos. Sur. Revista Internacional de Direitos Humanos, 1(1), 20-47. DOI: https://doi.org/10.1590/s1806-64452004000100003

Pontes, A. C. A, & Schramm, F. R. (2004). Bioética da proteção e papel do Estado: problemas morais no acesso desigual à água potável. Cad. Saúde Pública, 20(5), 1319-1327. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2004000500026

Rocha, S. (2000). Opções metodológicas para a estimação de linhas de indigência e de pobreza no brasil. IPEA.

Rosaneli, C. F., Ribeiro, A. L. C., Assis, L. de, Silva, T. M. da, & Siqueira, J. E. de (2015). A fragilidade humana diante da pobreza e da fome. Revista Bioética, 23(1), 89–97. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-80422015231049

Schramm, F. R. (2008). Bioética da Proteção: ferramenta válida para enfrentar problemas morais na era da globalização. Revista Bioética, 16(1), 11-23.

Schramm, F. R., Rego, S., Braz, M., & Palácios, M., (orgs.) (2005). Bioética: Riscos e Proteção. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/Editora Fiocruz.

Segall-Corrêa, A. M., & Marin-Leon, L. (2015). A segurança alimentar no Brasil: proposição e usos da escala brasileira de medida da insegurança alimentar (EBIA) de 2003 a 2009. Segurança Alimentar e Nutricional, 16(2), 1-19. DOI: https://doi.org/10.20396/san.v16i2.8634782

Sen, A. (2010). Desenvolvimento como liberdade (Laura Teixeira Motta, Trad.). São Paulo: Companhia das Letras

Souza, P. H. F. de, Osorio, R. G., Paiva, L. H., & Soares, S. (2019). Os Efeitos do Programa Bolsa Família sobre a Pobreza e a Desigualdade: Um Balanço dos Primeiros Quinze Anos. Ipea - Texto Para Discussão.

UNESCO. (2005). Declaração Universal sobre Bioética e Direitos Humanos. Disponível em https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000146180_por

Insegurança alimentar
Publicado
2020-10-29
Cómo citar
Semmer Orsatto, G. C., Barros Marques, L., Renk, V. E., & Corradi-Perini, C. (2020). Insegurança alimentar entre beneficiarios de um programa de transferência de renda brasileiro: uma análise na perspectiva da bioética. Revista Iberoamericana De Bioética, (14), 01-13. https://doi.org/10.14422/rib.i14.y2020.003