Publicidade e comercialização de alimentos para lactentes e crianças de primeira infância: regulação como responsabilidade do estado brasileiro

  • Caroline Filla Rosaneli Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Programa de Pós-graduação em Bioética
  • Dillian Adelaine Cesar da Silva Universidade de Brasília. Cátedra Unesco de Bioética.

Resumen

Esse estudo mapeou estratégias de regulação da publicidade e comercialização de alimentos para lactentes e crianças de primeira infância, discutindo seu papel sob a ótica da bioética de intervenção. Adotou-se metodologia qualitativa, com levantamento e análise documental da legislação sobre o tema. O marco legal é recente e abrangente; considerando os baixos índices de aleitamento materno e os indicadores relativos à introdução precoce e inadequada da alimentação complementar no Brasil, impõem-se medidas educativas e regulatórias atuantes sobre produção, publicidade e comercialização de alimentos, lógica corroborada pelo marco da bioética de intervenção, visando redução das vulnerabilidades e proteção à infância.

Biografía del autor/a

Caroline Filla Rosaneli, Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Programa de Pós-graduação em Bioética
Docente do Programa de Pós-graduação em Bioética
Dillian Adelaine Cesar da Silva, Universidade de Brasília. Cátedra Unesco de Bioética.

Doutoranda da Cátedra Unesco de Bioética da Universidade de Brasília. Brasil

 

Citas

Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2009). Pesquisa sobre Orçamentos Familiares (POF) 2008-2009. Recuperado de https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pof/2008_2009_encaa/default.shtm

Brasil. Ministério da Saúde. (2015). Cadernos de Atenção Básica n. 23. Saúde da Criança: Aleitamento Materno e Alimentação Complementar - 2ª Edição. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado de http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/cab23

Brasil. Vigitel. (2017). Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico. Ministério da Saúde. Recuperado em http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/abril/17/Vigitel.pdf

Decreto nº 8.552, de 3 de novembro de 2015.[Internet]. Diário Oficial da União. 2015 nov. 04 [acesso em 2017 mar]. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Decreto/D8552.htm

Dratch, C. B., Rosaneli, C. F., Silva, D. A. C., Biscioni, D. N., & Cunha, T. R. (2017). Considerações éticas acerca da proteção da infância frente à prevalência de excesso de peso. Revista Brasileira Bioética, (13),1. Recuperado de https://bioetica.catedraunesco.unb.br/?page_id=611

Lei nº 11.265, de 3 de janeiro de 2006. Regulamenta a comercialização de alimentos para lactentes e crianças de primeira infância e também a de produtos de puericultura correlatos. [Internet]. Diário Oficial da União. 2006 jan. 04 [acesso em 2017 mar]. Recuperado de http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/dd8746004745968f9e6bde3fbc4c6735/Lei+N%C2%BA+11265.pdf?MOD=AJPERES

Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Vigilância em Saúde. Política nacional de promoção da saúde. [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2010, 3ª ed. [acesso em 2017 set]. Recuperado de: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude_3ed.pdf

Monteiro, R. A. (2013). Influência de aspectos psicossociais e situacionais sobre a escolha alimentar infantil. (Tese doutorado). Universidade de Brasília, Brasília. Recuperado de http://repositorio.unb.br/handle/10482/4699

OPAS. Organização Pan-Americana da Saúde. (2012). Recomendações da consulta de especialistas da Organização Pan-Americana da Saúde sobre a promoção e a publicidade de alimentos e bebidas não alcoólicas para crianças nas Américas. Washington DC. Recuperado de http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=17262&lang=pt

Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura [UNESCO]. (2006). Declaração Universal sobre Bioética e Direitos Humanos. Brasília: Cátedra UNESCO de Bioética da Universidade de Brasília.

Rosaneli, C. F., Silva, D. A. C., & Ramos, A. G. (2016). Vulnerabilidade e autonomia nas escolhas alimentares. In R. Parizi, & C. F. Rosaneli (Org.), Bioética e Saúde Pública. 1ed. Curitiba: CRV.

Rossi, A., Moreira, E. A. M., & Rauen, M. S. (2008). Determinantes do comportamento alimentar: uma revisão com enfoque na família. Rev. Nutr., 21(6), 739-748. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732008000600012.

Silva, D. A. C. (2016). Publicidade de alimentos para crianças e adolescentes: desvelar da perspectiva ética no discurso do consumo consciente e informado. (Dissertação de mestrado). Brasília: Universidade de Brasília. Recuperado de http://repositorio.unb.br/handle/10482/19907

Silva, D. A. C., Cunha, A. C. R., Cunha, T. R., & Rosaneli, C. F. (2017). Publicidade de alimentos para crianças e adolescentes: desvelar da perspectiva ética no discurso da autorregulamentação. Ciência & Saúde Coletiva, 22(7), 2187-2196. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232017227.03222017

UNESCO. (2013). The Principle of Respect for Human Vulnerability and Personal Integrity. Report of the International Bioethics Committee of UNESCO (IBC). Paris. Recuperado de http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002194/219494E.pdf

Vasconcellos, A. B., Goulart, D., Gentil, P. C., & Oliveira, T. P. (2010). A saúde pública e a regulamentação da publicidade de alimentos. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado de http://189.28.128.100/nutricao/docs/geral/regulamentaPublicidadeAlimentos.pdf

Veiga, E., Pannuzio, E., Cunha, T., & Garrafa, V. (2011). A legitimidade da intervenção estatal na publicidade de produtos sujeitos à vigilância sanitária. Revista de Direito Sanitário, 12(2), 91-111. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v12i2p91-111

Vieira, G. O., Silva, L. R., Vieira T. O., Almeida, J. A. G., & Cabral, V. A. (2004). Hábitos alimentares de crianças menores de 1 ano amamentadas e não-amamentadas. J Pediatr (Rio J), 80(5), 411-416. DOI: https://doi.org/10.2223/1227

Publicado
2018-06-06
Cómo citar
Rosaneli, C. F., & Cesar da Silva, D. A. (2018). Publicidade e comercialização de alimentos para lactentes e crianças de primeira infância: regulação como responsabilidade do estado brasileiro. Revista Iberoamericana De Bioética, (7), 1-11. https://doi.org/10.14422/rib.i07.y2018.009